Para criar uma empresa digital, é preciso, antes, uma transformação tecnológica

Repensar a arquitetura e os modelos tradicionais de aquisição e gestão da TI pode evitar amarras na transição para o mundo digital

por Fabio Ferreira*

Transformar o padrão de negócios tradicional para o digital, de forma a acompanhar a evolução do mercado, é um desafio enorme para organizações de todos os setores. Na prática, essa mudança pressupõe uma revisão de como a empresa trabalha e utiliza a tecnologia a seu favor. Um aspecto importante para que toda organização possa viabilizar a transformação digital e de negócios está relacionado à reestruturação tecnológica, a fim de preparar a arquitetura que suportará os diferentes tipos de soluções que estão por vir.

Leia também: Alinhamento com o planejamento estratégico: 5 cuidados essenciais para o sucesso de um plano de TI

Antes mesmo da adoção de soluções e conceitos mais complexos, como DevOps, a modernização do parque tecnológico geralmente levanta questões mais elementares, que, quando subestimadas, podem criar amarras para a transformação. Seguem alguns pontos de atenção nessa transição:

  • Infraestrutura internalizada: ao considerar a terceirização de alguns serviços, as empresas tendem a ganhar mais flexibilidade e escalabilidade na comparação com modelos tradicionais de investimento e de gestão da TI. É importante, no entanto, ponderar as vantagens e desvantagens de cada formato, levando em consideração o planejamento estratégico da companhia e as particularidades do negócio.
  • Resistência a novos conceitos tecnológicos: algumas dessas tendências propõem mais flexibilidade ao negócio e a simplificação de processos. Plataformas de VoIP (voz sobre IP) e uso de softphone para clientes e usuários são alternativas para compor a infraestrutura de comunicação e facilitar a mobilidade, mas que, na maioria das organizações, ainda são desconsideradas ou subutilizadas.
  • Baixo investimento em novas tecnologias: o aporte em novas tecnologias é, geralmente, um processo difícil e que desperta uma série de questionamentos por parte de todas as lideranças da empresa. É muito comum que as organizações tenham dúvidas a esclarecer quanto à renovação de uma infraestrutura obsoleta, por exemplo. Portanto, encontrar as respostas mais assertivas depende de um estudo aprofundado do negócio, identificando as soluções adequadas para aquele contexto e as reais vantagens da modernização tecnológica.
  • Modelo tradicional de contratação da equipe de TI: uma boa formação e experiência profissional continuam sendo aspectos importantes no momento de uma contratação. No entanto, no processo de transformação do negócio, outras competências também passam a ser valorizados no perfil profissional, como, por exemplo, o espírito de inovação e empreendedorismo do candidato.

Toda empresa tem seu próprio timing para a mudança e para acomodá-las conforme sua capacidade. Porém, vale a nossa reflexão, enquanto líderes de tecnologia, sobre os modelos antigos de gestão da TI, com os quais, naturalmente, nos acostumamos a lidar durante todos esses anos. Afinal, a era digital traz uma agilidade que muda tudo - a organização, a área de TI e as pessoas, que, no fim, serão o principal elemento dessa transformação.

 

*Fabio Ferreira é sócio-consultor na Lozinsky Consultoria.

 

Desenvolvido por Code Tecnologia