O plano de gestão da TI não é só para o board ver - mas o que ele, efetivamente, verá?

É bastante comum que exista uma diferença enorme entre o que a TI aconselha e o que o conselho espera alcançar – ou o que está disposto a investir. Como, então, diferenciar expectativa de realidade? É possível dizer “não” para o board ou reverter as negativas do alto comando?  por Renato Maio “As discussões sobre os riscos futuros e suas implicações começam pelas mais importantes forças externas capazes de afetar uma vasta gama de iniciativas da empresa. Essas forças podem ser ameaças, mas também oportunidades. Membros da equipe executiva podem começar pelas forças mais aparentes em seu caso. Podem ainda recorrer a recursos internos e externos para identificar forças externas que te...